RECEBA NOSSAS NOVIDADES! CADASTRE-SE

GASTRONOMIA

Culinária Argentina

Por: Maurifio F. MarquesINDIQUEIMPRIMIR

Picanha

Culinária Argentina
Mauricio F. Marques

A culinária da Argentina se caracteriza por uma grande importância das carnes, vi-nhos e empanadas. A gastronomia desse país diferencia-se do resto da América Latina devido aos grandes aportes europeus: o ita-liano e o espanhol, que são duas importantíssimas influências, seguidos por derivados de etnias aborígenes.
Quando se fala em gastronomia argentina, imediatamente pensa-se em carne, em efeito a fertilidade do solo, somado ao fato de ser um dos principais produtores de grãos do mundo, permite a esta, contar com um gado de altíssima qualidade. Isso explica por que a carne é um dos principais ingredientes desta culinária.
As carnes normalmente vêm acompanhadas por batatas fritas, saladas, provolone ou provoleta (provolone defumado). Porém parece disseminar nos restaurantes argentinos a tendência a divulgar os pratos tradicionais do que os pratos típicos dos primeiros habitantes da região.
O puchero criolo é uma modificação do cozido espanhol, porem feito com mais carne e menos grão de bico. A carbonada (o nome vem do inglês carbonade ou do francês carbone, que significa carvão), podendo adquirir tons adocicados, se ao final da cocção for acrescentado pêssegos, pêras ou frutas secas. As famosas empadas, uma leve massa recheada com carne, cebola, ovos, azeitonas e temperos, tem origem nas empadas galegas que é a base de peixe.
COMO FOI?
A historia da gastronomia argentina, tem sua origem nos Pampas, pratos a base de milho como locro, tamales e humitas. Estes pratos constituíam a dieta comum dos primeiros habitantes dos Pampas Argentinos; tais pratos ainda são servidos no norte do país.
Com a colonização começou a mudar o habito alimentar dos argentinos, italianos e espa-nhóis trouxeram as massas,depois novas influências com a chegada dos judeus, ingleses, arabes e alemães.
Não se pode esquecer da erva mate e os pasteizinhos chamados de factura; o mate é tão importante na vida social dos argentinos que dele se deriva o verbo ‘matear’. O mate já se tornou um símbolo nacional e com propriedades digestivas e revigorantes, é tomado a qualquer hora do dia.
Também de grande fama internacional está a adega argentina, que tem em Mendoza a de maior prestigio. Com um relevo de altitude, influenciou na anti-oxidação e o clima na produção dos vinhos, especialmente o Malbec, considerado a melhor adaptação em solo Portenho.
PALADAR

A culinária argentina é distinta do resto da América Latina pelo influxo de duas grandes tradições européias: a comida italiana e espanhola. Além disso, há a influência da comida latina americana. Entre as influências nativas estão as de origem andina e guarani. Devido à influência espanhola e italiana, a culinária argentina é uma continuação do que é geralmente chamada de dieta mediterrânea.
Argentina é famosa por sua comida rica em proteínas. A parrilhada, carne grelhada, é bastante popular na culinária argentina. Na Patagônia, as carnes de cordeiro e de bode são mais utilizadas que a de boi na comida.
Vegetais e saladas também são importantes na culinária argentina. Tomate, cebola, alface e berinjela são acompanhamentos comuns. Tanto quanto a carne são também saboreados pratos italianos como pizza e massas. Diz-se que Buenos Aires tem mais pizzarias do que Roma. Uma bebida tradicional na argentina é o chá de erva mate.
TANGO ARGENTINO

O tango argentino , ou rio-platense , começou a ultrapassar fronteiras já no início do século XX, quando marinheiros franceses levaram ao seu país natal o tango do uruguaio Enrique Saborido La morocha,isso por volta de 1907; Aliás Paris se apaixonou pelo tango , uma dança exótica e sensual para os parisienses, que levou muitos artistas argentinos e uruguaios viajarem e até se radicarem na capital francesa. Os pesquisadores do gênero identificam duas fases de ouro do tango, a primeira nos anos 20, quando várias figuras do ambiente artístico de Buenos Aires e Montevidéu, inclusive muitos literatos como José Gonzalez Castillo e Fernán Silva Valdez canalizassem seus esforços no fomento da música popular rio-platense, e em especial do tango. Nos anos 20, cantores como Carlos Gardel, Ignacio Corsini e Agustín Magaldi, e cantoras como Rosita Quiroga e Azucena Maizani, venderam muitos discos na florescente indústria discográfica argentina e difundiram o tango para fora da Argentina. Os anos 40 marcam a segunda épo-ca de ouro do tango, quando novos valores do tango como Aníbal Troilo, Astor Piazzolla, Armando Pontier se juntam a nomes consagrados como Francisco Canaro e Carlos di Sarli, isso sem contar o fenômeno de popularidade que foi a típica de Juan D’Arienzo.
O Tango foi considerado um Patrimonio Cultural da Humanidade da Unesco em 30 de setembro de 2009, em Dubai.
Existiu também o tango brasileiro muito em voga no início do século vinte no Rio de Janeiro. Muitos dizem que ele nada mais era que uma denominação do maxixe, devido ao fato de ter sido proibido. Daí editar as canções com o gênero descrito por “tango brasileiro”. Ou-tros contestam essa história dizendo que há diferença entre o tango brasileiro e o tango argentino, isso pelo fato da influência popular que atravez dos anos trouxe caracteristicas pessoais e culturais de acordo com cada país, afinal, tango é tango!

Receita
Picanha

Ingredientes

- Uma picanha argentina maturada de aprox. 1,5kg
- Bacon em tiras aprox.250g
- Manteiga 100g
- 1 litro e meio de suco de laranja
- Sal grosso (à gosto)

Modo de Preparo

1 - Pegue a peça de picanha e faça um corte na lateral até quase partir ao meio como você tivesse abrindo um livro e coloque num recipiente.

2 - Em seguida jogue o suco de laranja e deixe a carne descansar com o suco por 2h.

3 - Após o descanso coloque as tiras de bacon dentro da carne e feche a carne como se estivesse fechando o livro (pode-se utilizar uns palitos para ajudar a fechar a carne). Em seguida faça uma capa de manteiga no lado sem a gordura e jogue o sal grosso em cima da capa de manteiga.

4 - Coloque na brasa com a gordura para baixo e deixe por 20min em seguida vire a carne e deixe por mais 20 min.

5 - Depois tire a carne do fogo e deixe ela descansar por 5 min. volte com ela para o fogo por mais 5 min.
 

Comentários

2010-2013 Revista NINE - Todos os direitos reservados.

contato@revistanine.com.br
desenvolvido por Natus Tecnologia