RECEBA NOSSAS NOVIDADES! CADASTRE-SE

TRAVELLING

MÉXICO - Religiosidade e a civilização asteca

Por: Giovanni lorenzonINDIQUEIMPRIMIR

Nossa Senhora de Guadalupe

Igreja

Altair Aparecido Toniolo, Diretor de Desenvolvi...

MÉXICO - Religiosidade e a civilização asteca
Giovanni lorenzon

Em um país onde nove em cada 10 habitantes são católicos, referenciados ainda por belas catedrais ainda do tempo da colônia, o turismo religioso no México é um dos destinos mais procurados por turistas do mundo inteiro. E a reverência a Nossa Senhora de Guadalupe é a principal festa.
Há 473 anos que Nossa Senhora de Guadalupe está no centro da vida social e religiosa do México. Antes de haver o hino nacional ou a bandeira, já era o símbolo da nação. Os Mexicanos têm com a sua padroeira uma relação de intimidade e carinho que dificilmente encontrará paralelo na devoção de qualquer outro povo a Nossa Senhora.
A devoção a Nossa Senhora de Guadalupe tem o seu apogeu a 12 de Dezembro, dia da sua festa litúrgica. Nesse dia e nos dias anteriores, o santuário regista as maiores enchentes anuais. Situado na periferia nordeste da Cidade do México, a maior cidade do mundo, com mais de 20 milhões de habitantes, o santuário torna-se pequeno para acolher os peregrinos que o visitam.
Individualmente ou em grupo, muitos deles a pé (e de joelhos, na parte final do percurso), os mexicanos vão rezar, agradecer a Nossa Senhora as graças recebidas (a nível da saúde, do emprego...), chorar e pedir a sua intercessão, pagar promessas, cantar, dançar, levar flores (tão importantes para a cultura indígena) e donativos. No átrio, os espectáculos sucedem-se, realizados sobretudo por grupos de dança.
As idas ao santuário são acontecimentos que marcam a história pessoal de muitos mexicanos e dos milhares de turistas estrangeiros que visitam o México nesta época do ano.
Astecas

Dizem que não se vai a Roma pela primeira vez sem conhecer o Vaticano. Ao México não se vai sem conhecer as ruínas da civilização asteca, especialmente o monumental conjunto arquitetônico de Tenochtitlán. Antiga metrópole, localizada ao Norte da Cidade do México, recebe milhares de turistas todos os dias.
Reza a lenda que uma tribo nômade de Aztlán, norte do México, vagava em busca de uma terra ideal, que um dia seria um grande império. Os astecas foram aconselhados pelo deus Huitzilopochtli a se fixar em um local onde encontrassem uma águia pousada em um cacto devorando uma serpente.
A lenda conta que a imagem, hoje reproduzida na bandeira do México, foi vista em uma ilha no meio do lago Texcoco, cercado pelos vulcões Iztaccíhuatl e Popocatépetl. Assim nasceu, em 1325, Tenochtitlán, a cidade sagrada dos astecas e hoje a Cidade do México. O povo guerreiro, que acreditava ser incumbido de uma missão divina, logo expandiu seu território e se tornou um império centralizado, hierarquizado e com um código de guerra.
Os astecas dominaram o sul, o leste e passaram a controlar grande parte do centro do país. Os prisioneiros dos permanentes conflitos eram sacrificados para agradar os deuses, o que servia para aterrorizar os inimigos e sustentar o império.
Quando os primeiros espanhóis chegaram ao país, encontraram mais de 3.000 anos de história de um povo totalmente consolidado. Os primeiros habitantes, os olmecas, haviam feito suas primeiras aldeias por volta de 2.000 a.C e o império asteca, na ocasião, era enorme.
A Cidade do México foi criada em 1521 após os conflitos sangrentos. Cortés ordenou que toda a cidade fosse destruída e que uma nova fosse construída com as pedras das obras astecas. E para completar o seu imperialismo, Cortés ainda destruiu o palácio de Montezuma e ergueu o seu em cima .


Lençóis Pta.
Altair Aparecido Toniolo

Desde 2006, Lençóis Paulista integra o projeto regional para aproveitamento da potencialidades turísticas de 10 cidades. O grande objetivo do projeto é inserir a região no mercado de turismo, aumentando o fluxo de visitantes e consolidar roteiros locais e regionais. O complemento econômico é a criação de uma estrutura de apoio, que vá da recepção ao turista à capacitação dos empresarial.
O lançamento do projeto ocorreu em agosto de 2007 e hoje possui 222 participantes, entre eles oito grupos de artesãos. Foram diagnosticados os locais de hospedagem e alimentação, bem como os potenciais recursos atrativos em áreas rurais e urbanas. Também foram passadas orientações técnicas para estruturação dos produtos e implantação do plano de atendimento.
Após três anos de estruturação, o Circuito Turístico Caminhos do Centro Oeste Paulista (Comtur) se transformou em produto. E produto para ser vendido precisa ser exposto, apresentado ao mercado. Por isso, o Circuito Turístico Caminhos do Centro Oeste Paulista tem participado de feiras, como as de 2010: 5º Salão do Turismo-Roteiros do Brasil, (26 a 30/05), Agrifan (13 a 15/08), 21º Bienal Internacional do Livro de São Paulo (12 a 22/08) e Caballiana (14 e 15/08).

Ações municipais

Um aspecto importante ao desenvolvimento da potencialidade do turismo receptivo em Lençóis Paulista é o mesmo estar presente no Plano Diretor Participativo, tanto na seção do Desenvolvimento Econômico quanto na seção do Planejamento Rural.
Lençóis Paulista revitalizou, em setembro de 2007, o Conselho Municipal de Turismo, que passou a ser instituído por meio da Lei Municipal, cujos membros voluntários representam setores de interesse para a atividade turística no município.
Este projeto é uma iniciativa do Conselho de Desenvolvimento Econômico Regional (Coder), ligado ao CIESP, com assessoria dos consultores em turismo do Sebrae. Conta também com o apoio do Instituto Soma e da OSCIP, que fará a gestão deste projeto regional. Outras nova cidades da região participam do projeto.

Atrações de Lençóis


Outros pontos turisticos também compõem o circuito turistico em nossa cidade, a Estação Ferroviária, a EMEF Esperança de Oliveira, o Paço Municipal, o Parque do Povo, Parque Paradão, Igreja São Benedito, Clube Esportivo Marimbondo, Parque de Exposições Facilpa , que estão incluídos como atrativos, porém dentro de um city-tour. O trabalho realizado até o presente momento, preparou os empreendedores a receber os visitantes em nossa cidade, que conta também com enorme quantidade de empresas no ramo de alimentação e hospedagem.


Comentários

2010-2013 Revista NINE - Todos os direitos reservados.

contato@revistanine.com.br
desenvolvido por Natus Tecnologia