Mãe e filha constroem casa com garrafas de vidro extraídas do lixo.

Duas mulheres se unem para revelar uma história de superação e conquista, mãe e filha, que sonharam e resolveram colocar a mão na massa para “materializar” o sonho. Foram seis meses de trabalho duro, e eram oito horas por dia dedicados à “linda missão”, no final valeu à pena tamanho esforço. Durante a pandemia, elas simplesmente construíram sua casa própria utilizando milhares de garrafas de vidro que eram diariamente recolhidas do lixo.

“Foi um momento de muita troca, sabe? Que a gente colocou toda a nossa disposição nisso. Porque foi logo no início da pandemia e a gente precisava fazer isso acontecer”, revelou Maria Gabrielly Dantas, que é designer de moda.

Edna e Gabrielly saíram de Curitiba há cerca de dois anos e foram morar na Praia do Sossego, na Ilha de Itamaracá, Recife, PE.

Edna trabalhou mais de 18 anos em uma cooperativa de materiais recicláveis. Neste tempo, Ea percebeu que haviam muitos materiais bons e aproveitáveis que eram jogados no lixo, foi então que viu uma grande oportunidade de transformar milhares de garrafas de vidro do lixo em um lar. Ela se uniu à sua filha, recolheram mais de cinco mil garrafas de vidro nas ruas da ilha e nos mangues de Itamaracá, quase 100% da matéria prima para a construção da casa já estava garantida.

“A garrafa de vidro, você joga ali no solo, ela é infinita, ela não se decompõe. E a necessidade de ter uma residência, de estar morando em Itamaracá, ter esse problema forte com o lixo aqui. A gente tentando resolver esse problema com o lixo surgiu a ideia de construir minha casa de garrafa, para dialogar com a sociedade que isso não é lixo”, ponderou, Edna Dantas que é uma empreendedora social.

Elas começaram a construir a casa de vidro em maio. Como acontece com muitos sonhadores e empreendedores, não tinham nenhuma noção com construção, apenas a vontade de construir. “Em um primeiro momento a gente fez blocos de garrafas. A gente pegava de quatro a seis garrafas, fazia o bloco, colava com argamassa. Depois vinha e encaixava como se tivesse colocando um tijolo. Assim a gente foi levantando, passo a passo, as paredes da nossa casa”, disse Edna.

Finalmente, a casa está quase concluída e Edna e Gabrielly resolveram se mudar para lá. Essa é a casa de garrafas de vidro de Edna e Gabrielly, elas afirmaram que:

“Eu tento afirmar que isso aqui é afro futurismo, é uma visão de futuro”, disse Gabrielly.

Com informações: Portal G1

Fotos: TV Globo/youtube

Tags

Compartilhe:

Share on google
Share on facebook
Share on whatsapp
Share on linkedin
Category
Lorem ipsum dolor sit amet, consectetur adipiscing elit eiusmod tempor ncididunt ut labore et dolore magna